17 Feb 2019

Foi assim hoje, um solzinho delicioso a cheirar a primavera. Depois de dois meses absolutamente deprimentes estes dias aquecem-nos a alma!

16 Feb 2019

Shad Thames

Perguntava-me um seguidor do Aventura Londrina se não seria esta a minha melhor foto de sempre. Nao sei, é difícil escolher a minha melhor foto mas esta de facto ficou excelente. Uma questao de pura sorte. A minha empresa fica nesta esquina, ia a chegar ao trabalho ontem de manhã cedo e a saborear o solzinho da manhã, quando aqueles raios de sol a passar por entre as pontes gritou por mim. Foi de telemóvel mesmo, pena nao ter a camera comigo. Como digo muitas vezes a maior parte da fotografia é uma questão de estar no local certo a hora certa e obviamente estar atento.
Esta rua na margem do Thames, a Shad Thames, foi no século 19 o maior armazém de Londres. Estas fachadas e pontes são reconstruídas dos antigos armazéns e alguns prédios ainda conservam as antigas pequenas gruas que serviam para armazenar nos pisos mais elevados os sacos de cereais e outros materiais chegados dos barcos. De manhã aqui se juntavam centenas de homens a procura de trabalho esporádico. Algumas dezenas eram recrutados todos os dias. Há por aqui algumas fotos antigas que mostram isso mesmo. 

14 Feb 2019

É o amore

Hoje é dia dos namorados e a cidade cheira a amor. Os supermercados têm mais flores que batatas, os restaurantes estão todos reservados, nos escritórios as meninas andam com passinhos de dançarinas de ballet, é a loucura total! Amanhã voltam as cenas do costume, mas hoje pronto, é dia do amor. Eu sempre fui anti-estas-coisas, nunca fui fã de festa com hora marcada, sempre gostei mais de programas inesperados sem razões ou datas especiais, esses sim, esses são os gestos que aprecio e dou valor, agora ser muito romântico no dia dos namorados, lembrar da família no Natal ou ligar a um amigo porque se recebeu um alerta do Facebook, a isso não dou valor nenhum. Bem, este dia faz-me sempre lembrar de um dia dos namorados que tive uns anos atrás, memorável, para mim e para a “H”. Bem a menina passou o dia a lamentar-se que eu não ia levá-la a jantar fora. Tentei perceber o porquê de ter de ser naquele dia e não no dia seguinte, mais calmo, e não ter que estar uma hora numa fila de um qualquer restaurante chinês, e depois toca a despachar porque há mais clientes à espera. Ela não concordou, dizia que não sabia como dizer as colegas no dia seguinte que não tinha ido jantar fora com o namorado, que era uma vergonha, bla, bla, bla. Fiquei farto da conversa, e perguntei “então o teu problema é ir jantar fora?” “Sim”, disse ela “Ok, eu levo-te a jantar fora, prepara-te e vou buscar-te em meia hora” “A serio? Fazes isso por mim?” “Sim, claro”. Fui buscá-la e levei-a ao McDrive. Ela não gostou. “Isto não é romântico, eu queria um jantar com velas…”, “Ok, faltam as velas? Não comas ainda, espera” Levei-a para casa e coloquei duas velas nos BigMac e jantamos. Acabou por ser uma risota e ela disse-me “Bem, fizeste história pelo menos, nunca esquecerei um namorado que me levou ao McDrive no dia de S.Valentim”.  Hoje deve estar a pensar em mim. Have fun H !!!

9 Feb 2019

GREEN BOOK



Provavelmente o melhor filme do ano até agora. Daqueles que apetece aplaudir no fim.

7 Feb 2019

Por fim, o Passaporte


O ultimo "step", já recebi o meu Passaporte British.
Para evitar stress fiz todo este processo por fases e com tempo. Quando ainda nao se falava em Brexit, pensei que um dia iria pedir a nacionalidade Inglesa por isso decidi fazer o exame. Comprei o livro, li-o com calma 2 vezes e quando achei que estava pronto para fazer o exame marquei-o e fiz, Step 1-Feito! Depois, veio o referendo e por via das dúvidas, nao fosse o Brexit ganhar, fiz a candidatura para Residência Permanente, done-Step2. E o Brexit ganhou. Fiz o exame de Ingles, step3 e quando tinha tudo isto pronto, pedi entao a Nacionalidade, step4, mas deixei o último passo para agora, o Passaporte. Fiz todo este caminho em 4 anos, faseado e sem um rombo brutal na conta bancária. Não fosse a bosta do Brexit e o Passaporte ia ficar para muito mais tarde, mas a partir de Marco, a nao haver acordo, sempre que regressasse ao Reino Unido teria de ir para a fila dos turistas no Aeroporto, algo que nao me apetece mesmo.


A Susana, a minha colega tuga, fez questão de registar o momento histórico da assinatura do dito cujo!