24 Jul 2017

De regresso ao cinzento


Já tiveram um daqueles dias em que parece que tudo corre mal e que todas as opções que tomaram se revelaram erradas? Pois, ontem assim aconteceu comigo no regresso a Londres depois de duas semanas azuis. Primeiro, ao entregar o carro que aluguei, descobri que tinha o pára-brisas rachado. 300€, toma lá. Depois, um caos no Aeroporto do Porto com filas enormes no controle da bagagem. Depois, o controle electrónico de passaportes não estava a funcionar (mais uma vez) e só dois guardas a verificar todos os passaportes e filas intermináveis. Já estava tudo a entrar no avião quando consegui passar. Finalmente dentro do avião, e quando tínhamos acabado de entrar, o comandante avisa que “devido a problemas nos aeroportos de Londres” teríamos de aguardar uma hora dentro do avião a espera de poder descolar. 28 graus de temperatura, avião cheio, crianças a chorar, uma hora. Lá levantamos. Quando cheguei, como já tinha o bilhete de comboio comprado on-line, fui apanhar o Shuttle para a Estação. Uma fila enorme, uns bons 10 minutos na fila e quando chega a minha vez, mostro o bilhete que normalmente já inclui o transfer e o funcionário diz-me que como tinha sido comprado on-line não tinha incluído o shuttle de modo que tinha de o comprar. Dou-lhe uma nota de 20 e ele diz que não pode aceitar e manda-me ir levantar dinheiro ao Terminal. Saio da fila e quando pego na carteira verifiquei que lhe tinha dado uma nota de 20 euros e não libras. Volto para o fim da fila, mais 10 ou 15 minutos de espera e lá compro o bilhete. Quando vou para entrar, diz-me o motorista que o BUS está cheio e tenho de esperar pelo próximo. Maravilha. Quando chego à Estação, o comboio para Londres tinha acabado de partir, o próximo, 20 minutos depois. Apanho o comboio, depois o metro, e quando saio em Greenwich, passo uns bons 7 minutos a espera do autocarro para casa, e como o meu autocarro não havia meio de aparecer, resolvi apanhar um outro com um percurso mais longo. Tinha acabado de entrar quando aparece o meu. Rrrrrr. Nada a fazer! Oito horas e meia depois de deixar a casa em Aveiro, cheguei finalmente. A única coisa boa da viagem de regresso foi o meu flatmate estar à minha espera com uma lasanha acabadinha de sair do forno e cerveja fresquinha. Melhor que isso, so mesmo uma flatmeita de lingerie à minha espera, mas pronto acho que isso já era pedir demais. Para o compensar, uns pastelinhos de nata, 10 segundos no microondas e canela por cima. Tudo está bem quando acaba bem!
Cá estou entäo de regresso, e já deprimido com o céu cinzento e chuva miudinha. Cada um tem o que merece, näo é?!

3 comments:

Bruno Seixas said...

Força Jonatas!
Diz que o bom tempo volta esta semana!

Anonymous said...

O que te deprimiu? o céu cinzento e a chuva miudinha? ou os contratempos?

Anonymous said...

Não estaremos todos a dar demasiada autoridade a uma condição externa, não controlável, sobre a nossa vida?