27 Apr 2016

Leituras


Acabei a minha recente leitura, Village of Secrets. Nem sempre aqui comento os livros que leio mas quero aqui deixar um comentário sobre este. Escrito por Caroline Mary Moorehead, uma escritoria inglesa especialista em biografias e direitos humanos, este livro não é um romance mas sim um documento histórico, com nomes reais, fotografias reais de pessoas reais. O livro fala principalmente do plano para salvar crianças judias das garras dos Nazis cujos pais foram deportados para os campos de extermínio. Está ali tudo, o silencio comprometedor do Vaticano, a dúbia “neutralidade” Suíça, que devolveu para a morte milhares de judeus que atravessaram as suas fronteiras em fuga, e sobretudo, a cumplicidade e colaboração das autoridades Francesas da altura, do Vichi Government, que oferecia mais aos Nazis do que eles próprios pediam. Uma Franca que levou 20 anos para alterar a lei de modo a que os criminosos de guerra nazis fossem acusados de crimes contra a huminadade e condenados. Um Pais muito rapido a homenagear os "resistentes" mas que demorou 40 anos para condenar os colaboracionistas e homenagear todos os que ajudaram os judeus. Com tudo isto, centenas de oficiais e altas patentes nazis responsaveis por este extreminio conseguiram viver mais de 40 anos em paz, em Paises da America do Sul e outros, e muitos morreram sem prestar contas. Verdades inconvenientes.
Este foi um livro que me incomodou a cada pagina, a cada parágrafo e não foram poucas as vezes que o fechei sem vontade de continuar. Um livro de digestão difícil .
Como são estúpidas e sem sentido as guerras, quão baixo pode descer o ser humano, mas também, quão forte e solidário pode ser. Centenas de pastores, padres, organizações pacifistas e outros, arriscaram a própria vida e a maioria perdeu-a mesmo, para salvar crianças e um povo do extermínio, lançado por um louco, mas aplaudido e seguido por milhões.

2 comments:

Anonymous said...

Obrigada pela partilha.

Anonymous said...

Uma leitura muito pertinente, nos tempos que correm.
Há quem negue a existência do Holocausto.
Desconhecer a História conduz à repetição dos mesmos erros.

Muito obrigada,

Luz