26 Jul 2017


Museu de Aveiro

Sempre a piorar

Há uma nova ameaça em Londres, ataques com acido. Mais um caso nas ultimas duas semanas. Mas que se passa com esta terra? Sinceramente, estou farto disto, quero ir-me embora!

25 Jul 2017

Killarney National Park.
Coisas pela Costa Nova, Aveiro.

Parque Nacional de Kellarney

Um dia pelo Parque Nacional de Kellarney, Republica da Irlanda.

Aluguei esta bicicleta por um dia, e andei pelo parque à descoberta. Que dia fantástico. 

24 Jul 2017

Conversas de urinol

Sempre que passo perto do NorteShopping lembro um episódio que me aconteceu uma vez: Andava eu por lá um dia a cirandar quando me apeteceu ir despejar águas. Para quem conhece este Centro Comercial, um dos sanitários tem uma longa parede com uns, sem exagero, 15 ou 20 urinóis. Estava completamente vazio, e lá estava eu sossegadinho a dar curso à natureza quando entra um indivíduo e vem se encostar precisamente ao meu lado. Com todos os sítios vazios, tinha de escolher este mesmo ao meu lado? Bem, fiquei logo estragado. De repente diz ele “Olá”, pronto, já me faltava esta, nunca antes na minha vida tinha batido um papo com um desconhecido de carlitos na mão, e não estava a gostar da experiência. E ele continua “Então?”, pausa, “Tudo bem?”. Aí, não me aguentei, viro-me para ele e já com uma série de palavras pouco simpáticas na ponta da língua, reparo que está a falar ao telefone, com um auricular!!!! 
E pronto, achei que devia partilhar este momento da minha vida com todos! E agora dizem vossemecês, então andaste tu calado durante duas semanas e é isto que tens para contar aos teus seguidores? Desculpem lá, não resisti, prometo pensar numas coisas mais interessantes para escrever.

De regresso ao cinzento


Já tiveram um daqueles dias em que parece que tudo corre mal e que todas as opções que tomaram se revelaram erradas? Pois, ontem assim aconteceu comigo no regresso a Londres depois de duas semanas azuis. Primeiro, ao entregar o carro que aluguei, descobri que tinha o pára-brisas rachado. 300€, toma lá. Depois, um caos no Aeroporto do Porto com filas enormes no controle da bagagem. Depois, o controle electrónico de passaportes não estava a funcionar (mais uma vez) e só dois guardas a verificar todos os passaportes e filas intermináveis. Já estava tudo a entrar no avião quando consegui passar. Finalmente dentro do avião, e quando tínhamos acabado de entrar, o comandante avisa que “devido a problemas nos aeroportos de Londres” teríamos de aguardar uma hora dentro do avião a espera de poder descolar. 28 graus de temperatura, avião cheio, crianças a chorar, uma hora. Lá levantamos. Quando cheguei, como já tinha o bilhete de comboio comprado on-line, fui apanhar o Shuttle para a Estação. Uma fila enorme, uns bons 10 minutos na fila e quando chega a minha vez, mostro o bilhete que normalmente já inclui o transfer e o funcionário diz-me que como tinha sido comprado on-line não tinha incluído o shuttle de modo que tinha de o comprar. Dou-lhe uma nota de 20 e ele diz que não pode aceitar e manda-me ir levantar dinheiro ao Terminal. Saio da fila e quando pego na carteira verifiquei que lhe tinha dado uma nota de 20 euros e não libras. Volto para o fim da fila, mais 10 ou 15 minutos de espera e lá compro o bilhete. Quando vou para entrar, diz-me o motorista que o BUS está cheio e tenho de esperar pelo próximo. Maravilha. Quando chego à Estação, o comboio para Londres tinha acabado de partir, o próximo, 20 minutos depois. Apanho o comboio, depois o metro, e quando saio em Greenwich, passo uns bons 7 minutos a espera do autocarro para casa, e como o meu autocarro não havia meio de aparecer, resolvi apanhar um outro com um percurso mais longo. Tinha acabado de entrar quando aparece o meu. Rrrrrr. Nada a fazer! Oito horas e meia depois de deixar a casa em Aveiro, cheguei finalmente. A única coisa boa da viagem de regresso foi o meu flatmate estar à minha espera com uma lasanha acabadinha de sair do forno e cerveja fresquinha. Melhor que isso, so mesmo uma flatmeita de lingerie à minha espera, mas pronto acho que isso já era pedir demais. Para o compensar, uns pastelinhos de nata, 10 segundos no microondas e canela por cima. Tudo está bem quando acaba bem!
Cá estou entäo de regresso, e já deprimido com o céu cinzento e chuva miudinha. Cada um tem o que merece, näo é?!

10 Jul 2017

De regresso de partida


Depois de 3 dias na Irlanda a fotografar um casamento e turistar, regressei hoje a Londres e amanhã estou de partida para Portugal para duas semanas de dolce fare niente. Não vão por isso haver muitos posts nestas semanas, assim ficam com saudades minhas, ou não! :) Até breve!